A ministra da Saúde francesa, Marisol Touraine, anunciou esta quarta-feira que os homossexuais vão poder doar sangue a partir da próxima primavera.

Esta mudança será feita "por etapas", tendo em conta "o respeito absoluto da segurança dos doentes", acrescentou.

"Nos primeiros tempos, a doação de sangue será aberta aos homossexuais que não tenham tido relações sexuais com outro homem nos últimos 12 meses. Os homossexuais poderão doar plasma se estiverem numa relação estáveis há mais de quatro meses ou se não tiveram relações sexuais no mesmo período de tempo".


Segundo a ministra da Saúde, "as primeiras doações vão permitir a realização de estudos" e, "se não houver riscos", a mudança das "regras que se aplicam aos homossexuais", que "serão aproximadas das regras gerais no ano seguinte".

"Ou seja, vamos fazer os questionários para serem preenchidos pelos doadores de sangue, para precisar as condições para os homossexuais, mas também para heterossexuais com práticas de risco, como por exemplo, prostitutas»


A exclusão permanente em França dos doadores de sangue homossexuais foi instituída em 1983 devido aos riscos da Sida.