O ministro do Interior da Bolívia, Carlos Romero, confirmou, esta quinta-feira, que o vice-ministro, Rodolfo Illanes, foi “brutalmente assassinado” quando se encontrava sequestrado por mineiros em protesto.

Estamos a realizar as diligências necessárias para que nos entreguem o corpo de Illanes”, disse Carlos Romero, transmitindo ainda uma mensagem de pesar aos familiares, numa declaração aos jornalistas no Palácio do Governo.

O ministro confirmou assim a versão que circulava há quatro horas, quando o jornalista Moisés Flores, diretor da rádio Fedecomin, afirmou ter visto o corpo num monte do planalto, perto da localidade de Panduro, a 180 quilómetros da capital, La Paz, onde voltaram a registar-se violentos confrontos entre mineiros e a polícia.

Detidos mais de 100 manifestantes

A polícia da Bolívia deteve, esta quinta-feira, mais de uma centena de mineiros, que participaram nos bloqueios no planalto, onde se encontrava sequestrado e foi depois assassinado o vice-ministro do Interior, Rodolfo Illanes.

O ministro da Defesa boliviano, Reymi Ferreira, declarou ao canal de televisão Red Uno que o governo não vai deixar o crime passar impune e que os agentes detiveram já entre 100 e 120 pessoas no âmbito da investigação ao caso.

Segundo Reymi Ferreira, o Presidente da Bolívia, Evo Morales, “está profundamente comovido” e a morte de Illanes causou uma “profunda dor” porque era um vice-ministro “muito querido”.