As autoridades brasileiras suspenderam esta segunda-feira todas as operações na mina da Samarco, de extração minério de ferro, onde o colapso das barragens causou a morte a pelo menos quatro pessoas, informou esta segunda-feira uma porta-voz governamental da Secretaria Ambiental de Minas Gerais.

A mina Samarco, que resulta de uma parceria entre a australiana BHP Billiton e a brasileira Vale, foi encerrada na sexta-feira, por decisão das autoridades locais, enquanto prosseguem as investigações para apurar as causas do acidente e os riscos existentes para a população e para o ambiente.

Cerca de 20 pessoas continuam desaparecidas na sequência da enxurrada de lama causada pelo rompimento das barragens da mina, que soterrou parte da vila Bento Rodrigues, no distrito de Mariana, em Minas Gerais.

"A Samarco está apenas autorizada de efetuar ações de emergência que minimizem os efeitos do colapso e previnam novos acidentes", explicou a porta-voz.


As autoridades já identificaram dois dos corpos encontrados e estão a tentar identificar outros dois.

O acidente deixou 600 pessoas sem casa, adiantou a porta-voz. 

O diretor executivo da empresa australiana BHP Billiton anunciou que irá deslocar-se à área afetada.