O Irão libertou já libertou os dez militares norte-americanos detidos na terça-feira, noticia a Reuters citando a televisão iraquiana.

A libertação acontece depois dos Estados Unidos terem pedido desculpa ao Irão, pela invasão das suas águas, por esses elementos da Marinha, de acordo com a comandante do Exército Revolucionário Iraniano.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, contactou o ministro dos Negócios Estrangeiros sobre o incidente, que surge numa altura em que se espera a adoção do acordo nuclear entre o Irão e as grandes potências. 

Um entendimento foi alcançado, na terça-feira, entre os dois países para que o grupo de militares norte-americanos prosseguisse viagem esta quarta-feira de manhã, anunciou uma fonte oficial da Defesa dos EUA, citada pela agência Reuters. 

A fonte revelou que foi considerado mais seguro proceder à transferência dos militares à luz do dia. O Irão irá conduzir os marinheiros norte-americanos até águas internacionais, onde serão transferidos para um navio do porta-aviões nuclear americano USS Harry S. Truman. 

Os Estados Unidos trabalharam com o Irão para recuperar um grupo de militares da Marinha do qual perderam o contacto quando aqueles seguiam a bordo de duas pequenas embarcações no Golfo Pérsico, disse fonte oficial norte-americana, a terça-feira.  

“Hoje de manhã [terça-feira], perdemos o contacto com as duas pequenas embarcações que estavam em rota do Kowait para o Barém”, afirmou um alto funcionário do Governo norte-americano.