Duas estudantes californianas, que não se conheciam, descobriram que eram irmãs quando entraram para a universidade, no Luisiana, Estados Unidos.

Mikayla Stern-Ellis, de 19 anos, e Emily Nappi, de 18, tiveram o primeiro contacto no último verão, através do Facebook, quando procuravam colega de quarto para uma residência universitária.

Estudantes do primeiro ano da Universidade de Tulane, em Nova Orleães, acabaram por não ficar juntas, mas mantiveram contacto e tornaram-se amigas.

Segundo o jornal universitário The Tulane Hullabaloo, o encontro frente-a-frente aconteceu só no outono, no campus da universidade.

As duas jovens, que já se sentiam próximas, partilhando gostos e opiniões, e que tinham chegado a brincar sobre a possibilidade de serem irmãs, descobriram então que eram também muito parecidas fisicamente.

Logo a seguir, veio outra descoberta: as duas eram filhas de dadores de esperma anónimos da Colômbia.

Mikayla, filha de um casal de lésbicas, contou, na primeira ida a casa nas férias, sobre a sua nova amiga e ficou a saber que no banco de esperma a que as mães tinham recorrido há 20 anos só havia um colombiano entre cerca de mil dadores.

A conselho das mães, a jovem enviou um «sms» à amiga a perguntar o número do dador e, na resposta, ficou a saber que era o mesmo.



Exames posteriores confirmaram que as duas têm o mesmo pai. Nas redes sociais as duas «amigas-irmãs» têm publicado várias fotografias que confirmam as semelhanças físicas.