Os ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) e da Defesa da União Europeia (UE) reúnem-se hoje e terça-feira, no Luxemburgo, com uma agenda de trabalhos dominada pela crise migratória e as ameaças híbridas.

Esta segunda-feira, no primeiro dia de trabalhos, os MNE irão debater a crise migratória e a situação dos refugiados na Europa e os desafios futuros, com a participação do Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi, que substituiu António Guterres no cargo em 01 de janeiro.

Os chefes da diplomacia europeia vão ainda debater a agenda regional da UE para a Síria e o Iraque bem como a ameaça terrorista do grupo extremista Estado Islâmico.

Ao final do dia, já na presença dos ministros da Defesa, será realizada uma videoconferência com o primeiro-ministro da Líbia, a que se segue um jantar de trabalho sobre a situação no país.

Reunião UE-NATO

Na terça-feira, os ministros da Defesa reúnem-se na presença do secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, para discutir a questão das ameaças híbridas.

A Comissão Europeia propôs em 6 de abril o reforço da resposta a ameaças híbridas, que combinam métodos militares convencionais e não convencionais, que podem ser utilizados de forma coordenada por parte de intervenientes estatais e não-estatais, permanecendo, porém, abaixo do limiar de uma guerra formalmente declarada.

Na reunião dos MNE, Portugal estará representado pelo ministro da tutela, Augusto Santos Silva, que irá ainda visitar, no dia seguinte, a mostra “Portugal – Destination d’Histoire et de Culture”, patente no Centro Comercial Belle Etoile, e o Centro Cultural Português e participar num almoço com representantes da Comunidade portuguesa. Na terça-feira, o ministro Azeredo Lopes participa no Conselho de Ministros da Defesa da UE.

Os Conselhos de Ministros da UE reúnem-se no Luxemburgo em abril, junho e outubro.