Os conflitos e a violência fizeram com que o número de pessoas forçadas a fugir das suas casas subisse para um recorde de 60 milhões no ano passado, avançou esta quinta-feira a Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR).

Este total representa um aumento de 8,3 milhões de refugiados e pessoas deslocadas internamente em relação a 2013, o maior aumento de sempre num só ano, indica a ACNUR, no relatório de Tendências Globais intitulado “Mundo em Guerra”.

“Estamos a observar uma mudança de paradigma, um resvalo para uma era em que a escala de deslocamentos forçados, bem como as respostas necessárias, está claramente a superar tudo o que vimos antes”, disse António Guterres, Alto-comissário para os Refugiados da ONU, antes do lançamento do relatório anual.