86 migrantes provenientes do Afeganistão, Paquistão e Iraque foram resgatados, na Áustria, depois de terem estado presos dentro de um camião durante 12 horas. Entre eles estavam 16 crianças, a mais nova com apenas cinco meses de idade, e uma mulher grávida de oito meses.

O camião vindo da Hungria foi mandado parar pela polícia, na autoestrada, depois dos agentes repararem que ia demasiado carregado. O condutor da viatura fugiu, com os migrantes ainda presos no compartimento de carga.

Quando as autoridades se aperceberam da situação, conseguiram fazer alguns orifícios na viatura para que os migrantes pudessem respirar. Dentro do camião estavam 35 graus.

As autoridades disseram que, quando conseguiram libertar os migrantes, a mulher grávida tinha desmaiado e alguns homens também se sentiram mal quando saíram do veículo.

 “Este é de longe o pior caso de tráfico que já vimos. Até os agentes experientes ficaram chocados”, afirmou Johann Baumschlager, porta-voz da polícia austríaca.


Pensa-se que o destino final dos viajantes fosse a Alemanha ou a Escandinávia.

Dois dos migrantes pediram asilo na Áustria e seis crianças que viajavam sem os pais ficaram no país sob custódia. Os restantes foram autorizados a prosseguir viagem.

Algumas horas depois, a polícia tornou a parar um camião, desta vez transportando 38 migrantes.

“Quase todos os dias paramos estes transportes de tráfico. É um milagre ainda ninguém ter morrido”, disse o agente, em entrevista à BBC.