Michael Flynn, antigo assessor para a segurança nacional de Donald Trump, foi hoje considerado culpado por ter mentido no inquérito sobre contactos com a Rússia nas eleições presidenciais, anunciou hoje a justiça dos Estados Unidos da América.

O general Flynn tinha sido indiciado na quinta-feira por ter mentido quanto ao teor das conversações com o embaixador russo em Washington, Sergueï Kisliak, e deverá ser hoje presente a um juiz.