O advogado da atriz de filmes pornográficos Stormy Daniels acusou o advogado do Presidente dos Estados Unidos, Michael Cohen, de ter recebido 500 mil dólares de oligarcas russos próximos do Kremlin, pouco depois das eleições de 2016.

“Descobrimos que o advogado pessoal do Presidente Donald Trump recebeu aproximadamente 500 mil dólares, através de uma empresa controlada por um oligarca russo, com laços estreitos com [o Presidente da Rússia] Vladimir Putin”, escreveu o advogado de Daniels, Michael Avenatti, na sua conta da rede social Twitter.

Avenatti precisou que os oligarcas russos Viktor Vekselberg e Andrew Intrater transferiram meio milhão de dólares para Cohen em oito pagamentos, entre janeiro e agosto de 2017, através de uma empresa chamada Columbus Nova LLC.

A Columbus Nova LLC é uma empresa norte-americana de investimentos do Grupo Renova, conglomerado russo de que Vekselberg é proprietário.

Tanto Viktor Vekselberg como o Renova Group foram afetados pelas sanções impostas pelos Estados Unidos à Rússia, devido à presumível ingerência russa nas eleições presidenciais de 2016.

De acordo com o advogado da atriz de filmes pornográficos Stormy Daniels, os 500 mil dólares pagos por Vekselberg foram transferidos para uma conta da Essential Consultants, uma empresa fictícia que Michael Cohen terá usado para pagar a Stormy Daniels o seu silêncio sobre relações sexuais com Trump, no âmbito de um acordo de confidencialidade.

Stormy Daniels e Trump enfrentam-se num processo judicial desde que, no princípio do ano, foi publicado na imprensa que Cohen fez um pagamento à atriz antes das presidenciais norte-americanas, em 2016.

Daniels alega ter tido relações sexuais com Trump em 2006, já ele era casado com a atual primeira-dama, Melania Trump.

A transação pode configurar violação das leis norte-americanas sobre financiamento eleitoral, caso se considere que o pagamento teve como finalidade manter a imagem de Trump como candidato, num momento especialmente delicado da campanha.

O jornal norte-americano New York Times publicou na semana passada que a equipa do procurador especial Robert Mueller, encarregado de investigar se houve ingerência russa nas presidenciais de que saiu vencedor o atual Presidente, interrogou Viktor Vekselberg no início deste ano, no âmbito desta investigação.

A estação televisiva CNN foi mais longe, afirmando ter tido acesso aos documentos que mostram os pagamentos denunciados por Avenatti e que o interrogatório a Vekselberg estava relacionado com os pagamentos a Cohen.

Michael Avenatti acusou ainda o advogado pessoal do governante de ter recebido cerca de 400 mil dólares da gigante farmacêutica suíça Novartis, 200.000 da empresa de telecomunicações AT&T e 150.000 da empresa aeroespacial sul-coreana Korea Aerospace Industries.