Sete pessoas suspeitas de traficarem combustível morreram no domingo durante um confronto com soldados perto da cidade mexicana de Puebla, avançou hoje a agência de notícias France-Presse.

O grupo foi surpreendido a roubar combustível de um camião-cisterna por soldados que realizavam uma patrulha e que foram recebidos a tiro.

Entre os mortos está o autoproclamado "Comandante 30", protagonista de vídeos divulgados nas redes sociais, nos quais ameaçava gangues rivais e comandantes da polícia.

O mesmo elemento era também suspeito de assassinar polícias naquela região nos últimos anos.

Durante um ano e meio, o trabalho coordenado do exército, da polícia e do Ministério Público permitiu apreender mais de oito milhões de litros de combustível em cerca de trinta municípios atravessados pelos oleodutos da empresa pública Petróleos Mexicanos (Pemex), de acordo com as autoridades locais.

Os oleodutos são alvos frequentes de gangues violentos.

Segundo dados oficiais, o número de casos de furtos de combustível nos oleodutos da Pemex aumentou de 2.612 em 2013 para 6.873 em 2016.