Trinta mulheres vítimas de tráfico sexual, na sua maioria oriundas da Colômbia e da Venezuela, foram resgatadas de uma rede de prostituição na sequência de duas operações das forças de segurança no México, anunciou no sábado a polícia.

Na maior das duas operações, levada a cabo em Toluca, a aproximadamente 60 quilómetros da capital, foram libertadas 24 mulheres, com idades entre os 21 e os 39 anos, das quais 14 afirmaram ser oriundas da Colômbia e dez da Venezuela, segundo as autoridades federais.

Atraídas para o México pela promessa de um emprego, com os documentos confiscados uma vez chegadas ao país e sob a ameaça de represálias contra familiares nos seus países de origem, as mulheres foram forçadas a prostituírem-se.

Um homem e uma mulher, presumivelmente responsáveis pelo seu cativeiro, foram detidos.

Na outra operação policial, que envolveu rusgas a uma série de casas da cidade turística de Cuernavaca, no estado de Morelos, no centro do país, as autoridades resgataram mais seis vítimas de tráfico sexual, incluindo cinco venezuelanas e uma mexicana.