As forças de segurança mexicanas submetem regularmente as mulheres detidas a abusos sexuais para obter “confissões”, revela um relatório da Amnistia Internacional publicado esta terça-feira, de acordo com as agências. 

A organização não-governamental, com sede em Londres, inquiriu 100 mulheres encarceradas em prisões do México e todas declararam ter sido objeto de formas de assédio sexual ou de abusos psicológicos durante a sua detenção e na fase de interrogatório.

Segundo a Amnistia, “72 afirmaram ter sido agredidas sexualmente durante a sua detenção ou nas horas que se seguiram. Trinta e três disseram ter sido violadas”.