Pelo menos 20 detidos morreram e vários outros ficaram feridos, esta quarta-feira, durante um motim na prisão da cidade fronteiriça de Ciudad Juarez (Norte do México), anunciaram as autoridades locais.

«Há vinte mortos e cinco feridos, três dos quais em estado grave», anunciou Victor Valência, o representante do governo regional do Estado de Chihuahua, citado pela agência AFP.

Todas as vítimas são reclusos, mortos durante confrontos entre três bandos rivais no interior da prisão, precisou durante uma conferência de imprensa.

Foi necessária a intervenção do exército, da polícia federal e das forças de segurança do Estado de Chihuahua para restabelecer a ordem na prisão, situada numa das localidades mais violentas do México, perto da fronteira norte-americana.

Cerca de 80 militares cercaram o edifício, alguns ocuparam posições nos telhados, a fim de evitar a eventual fuga dos prisioneiros. Dois helicópteros sobrevoavam a zona, testemunhou um jornalista da France Presse.

Os motins não são raros no México, com prisões sobrelotadas e onde os ajustes de conta entre bandos rivais de detidos são moeda corrente.

O último grande motim ocorreu em Outubro, na prisão de Reynosa, no Estado de Tamaulipas (nordeste), e causou mais de 20 mortos entre os prisioneiros.

Em 2008, a guerra entre bandos criminais fez mais de 5.300 vítimas no México, das quais 1.600 só na localidade de Ciudad Juarez, onde se confrontam os principais cartéis da droga mexicanos.

No domingo, cerca de 4.000 polícias foram enviados para este cidade, no âmbito de um plano de segurança lançado pelo governo que enviou desde 2006 cerca de 36 mil efectivos das forças da ordem para todo o país.