Sabrina Allen, de 17 anos, foi encontrada na noite de terça-feira em Papalotla, Tlaxcala, no México. Esteve desaparecida durante 12 anos. Tinha apenas cinco anos quando o pai a deu como desaparecida em 2002.

Assim que foram descobertas, mãe e filha apanharam um voo para o Texas. A mãe, Dara Llorens, está presa desde quarta-feira em Austin, nos Estados Unidos, acusada de rapto e sequestro, violação do acordo judicial sobre a custódia da criança e fuga às autoridades. 

A mãe ofereceu resistência quando foi detida e está em prisão preventiva com uma fiança estipulada em 238 mil euros (300 mil dólares). Não se sabe há quanto tempo estava no México com a filha, nem o estado em que a criança se encontra fisica e psicologicamente. O pai, Gregory Allen, apenas referiu à Associated Press que a filha estava a ser examinada pelos médicos e que ainda não a tinha visto.

Passados seis meses do seu desaparecimento, Gregory Allen contratou um detetive privado para encontrar a filha e criou também um site, FindSabrina.org, onde oferecia cerca de 16 mil euros (20 mil dólares) de recompensa a quem a encontrasse.

Sabrina encontrava-se na lista de pessoas desaparecidas do « National Center for Missing and Exploited Children» e o caso de Sabrina esteve por duas vezes em destaque no programa de televisão «America's Most Wanted».

O FBI recordou que no dia 19 de abril de 2002, Dara Llorens levou a filha, ao abrigo do acordo de regulação do poder paternal, só que não entregou Sabrina ao pai, que tinha a guarda da criança, no final desse dia. Doze anos depois, Sabrina vai regressar a casa.  «Esta foi uma longa procura. Acabei por ter sorte», disse Gregory Allen à BBC.