Atualização às 11:00
 
As autoridades mexicanas encontraram, esta quinta-feira, 11 corpos decapitados e queimados de jovens na berma de uma estrada entre as localidades de Chilapa de Álvarez e Ayahualulco, no estado de Guerrero, no sul do país.
 
Fontes da Procuradoria de Guerrero confirmaram à agência Efe que os cadáveres foram abandonados na zona depois de um confronto, na noite anterior, entre grupos rivais de crime organizado. «Los Rojos» e «Los Ardillos» disputam o controlo dessa zona para o tráfico de drogas e outras atividades ilícitas.
 
Uma equipa da Procuradoria-Geral da República deslocou-se à zona para investigar o caso.
 
«Esta manhã foram encontrados os corpos de 11 pessoas que além de terem sido executadas foram decapitadas e, posteriormente, algumas queimadas», disse uma fonte da Secretaria do Governo de Guerrero à AFP. A fonte informou também que os cadáveres não chegaram a ser incinerados na totalidade e que junto a eles foi deixado uma mensagem dirigida a um grupo criminal conhecido como «Los Ardillos». A mensagem era esta: «Aqui está, lixo».
 
A descoberta  dos corpos aconteceu a escassas horas do presidente Enrique Peña Nieto anunciar medidas contra a violência, no seguimento da crise provocada pelo desaparecimento e possível massacre dos 43 estudantes também em Guerrero.
 
No seu discurso, o presidente comprometeu-se a propor ao Congresso a criação de um corpo único de polícia estatal, com sanções para os governadores que não a aceitarem. Guerrero, Jalisco, Michoacán e Tamaulipas são os primeiros estados em que essa polícia será implementada no México.
 
Em Guerrero estão identificados vários grupos de narco-traficantes, entre os quais os «Guerreiros Unidos», criado através de divisões internas do cartel de drogas do Beltran Leyva. Os «Guerreiros Unidos» são suspeitos de terem participado no desaparecimento dos 43 estudantes.
 
Há cerca de um mês foram encontradas valas com 13 corpos na localidade de Chilapa de Álvarez. Há dois meses desapareceram 43 estudantes, mas até agora não parece haver ligações entre este caso e o desaparecimento, informou a agência AP.