O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, apelou esta sexta-feira à criação de um serviço de informações comum da União Europeia, depois do atentado terrorista em França mais sangrento dos últimos 50 anos.

«Temos uma moeda comum e precisamos de ter um sistema comum de segurança e informações. A Europa deve estar unida contra o terrorismo», disse o chefe do governo de Roma, citado pela imprensa italiana.

Adiantou que não existiam sinais de que a Itália possa estar sob ameaça de um ataque específico, mas que as agências de segurança do país estavam a agir «como se houvesse».