No total são 300 mulheres envolvidas na iniciativa Time’s Up, entre as quais atrizes, agentes, escritoras, diretoras e produtoras de Hollywood, que lutam pelo fim do assédio sexual no local de trabalho. O novo movimento foi anunciado na segunda-feira, com a promessa de apoio a todas as mulheres, numa carta aberta assinada por centenas de famosas.

A iniciativa inclui um fundo de aproximadamente 11 milhões de euros em donativos, que irá servir para ajudar legalmente as mulheres financeiramente mais desfavorecidas.

Em relação à indústria do entretenimento, o plano de ação inclui um impulso para a igualdade de géneros em estúdios de produção e agências de entretenimento.

É tempo de estar acima deste monopólio impenetrável”, pode ler-se na carta, citada pelo The New York Times.

Todas as mulheres presentes na cerimónia dos Globos de Ouro, no próximo domingo, foram convidadas a usar roupa preta em sinal de solidariedade contra a desigualdade racial e de género.

Este é um momento de solidariedade, não é um momento de moda. Durante anos, vendemos estas cerimónias como mulheres, com os nossos vestidos, cores, caras bonitas e glamour. Agora, a indústria não pode esperar isso”, afirmou a atriz Eva Longoria.

O Time’s Up veio ajudar a corrigir as críticas de que o movimento #MeToo foi alvo, sendo acusado de só se direcionar a personalidades publicamente reconhecidas, deixando de fora a classe trabalhadora.

Em novembro, 700.000 trabalhadoras agrícolas escreveram uma carta aberta de apoio à causa das atrizes vítimas de assédio sexual. Depois de a lerem, os membros da Time’s Up sentiram a necessidade de direcionar os seus esforços ao resto do mundo.

Se este grupo de mulheres não consegue lutar pelas outras mulheres, que não têm tanto poder nem privilégios, quem vai conseguir?”, questionou Shonda Rhimes, produtora executiva de séries televisivas como Grey’s Anatomy (Anatomia de Grey) e How To Get Away With Murder (Como defender um assassino).

O Time’s Up é gerido por voluntárias e composto por grupos de trabalho, com diferentes focos.

Entre as voluntárias do Time’s Up estão as atrizes Ashley Judd, Eva Longoria, America Ferrera, Natalie Portman, Emma Stone, Kerry Washington e Reese Witherspoon.

A iniciativa formou-se pouco tempo depois de o produtor Harvey Weinstein ter sido acusado de inúmeros casos de assédio sexual.

Muitos dos membros do grupo afirmam que esta é a oportunidade de conhecer as outras mulheres da indústria, dominada pelos homens.

Estamos finalmente a ouvir-nos umas às outras, a ver-nos umas às outras e agora a dar as mãos pela solidariedade umas pelas outras e por todas as outras mulheres que não se sentem vistas nem ouvidas”, afirmou a atriz Reese Witherspoon.

Apesar de se dizerem muitas vezes frustradas pelos resultados não tão imediatos, estas mulheres garantem que não vão desistir.

Não tomar nenhuma ação já não é uma opção”, assegurou a atriz America Ferrera.