A oposição venezuelana garantiu 112 lugares no novo parlamento, garantindo à justa uma maioria qualificada de dois terços, e com o partido no poder PSUV a eleger 55 deputados, anunciou oficialmente o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), nesta terça-feira.

A CNR acrescentou que a Mesa da Unidade Democrática (MUD) obteve 65,27% dos votos expressos, com o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, no poder), a garantir 32,93%.

A oposição venezuelana já tinha reivindicado neste mesmo dia uma maioria de dois terços no parlamento.

A coligação da Mesa de Unidade Democrática (MUD) “obteve, segundo todos os registos e verificações efetuadas, a maioria qualificada” de 112 dos 167 lugares do parlamento unicameral, escreveu na sua conta Twitter o antigo candidato às presidenciais, Henrique Capriles.

O mesmo resultado também foi anunciado pelo secretário executivo do MUD, Jesus Torrealba, numa conferência de imprensa onde também revelou que os 112 deputados vão reunir-se na quinta-feira para definir as suas funções no futuro hemiciclo que inicia funções em 5 de janeiro.

No anterior comunicado publicado na noite de segunda-feira, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) tinha atribuído 110 lugares à MUD e 55 ao Partido socialista unido da Venezuela (PSUV), precisando que faltavam atribuir dois lugares.

Uma maioria de dois terços permitirá designadamente à oposição convocar um referendo, declarar uma assembleia constituinte ou ainda destituir magistrados do Supremo tribunal de justiça.

A oposição  conquistou a maioria parlamentar pela primeira vez em 16 anos, beneficiando do forte descontentamento popular na Venezuela com uma crise económica provocada pela queda dos preços do petróleo.