A polícia de Hong Kong está hoje a interrogar um cidadão britânico de 29 anos e funcionário do Merrill Lynch depois da descoberta macabra de dois cadáveres do sexo feminino, incluindo um numa mala, no seu apartamento de luxo.

Rurik Jutting foi detido às primeiras horas deste sábado e terá sido o próprio a chamar as autoridades ao local. As mulheres mortas eram prostitutas e foram encontradas no 31.º andar de um bloco residencial popular entre os expatriados em Wanchai, onde Jutting vivia, quando centenas de pessoas comemoravam o Halloween.

Uma mulher foi encontrada nua, com ferimentos de faca no pescoço e nas nádegas, na sala de jantar. Já a segunda mulher estava dentro de uma mala e o corpo estaria já em decomposição.

As autoridades já conseguiram identificar uma das vítimas como Sumarti Ningsih, uma mulher de 25 anos, da Indonésia. Quanto à segunda vítima sabe-se apenas que terá cerca de 30 anos e que é das Filipinas.

Jutting não comparecia ao seu local de trabalho há cerca de uma semana, segunda uma fonte do «The Telegraph». Já o «The South China Morning Post» afirma que o britânico se tinha demitido recentemente.
 


 
Um dos moradores do mesmo bloco de apartamentos descreveu o cheiro «terrível» que se sentiu no edifício.

«Era o cheiro de um cadáver. Talvez terá surgido quando a polícia começou a mexer no corpo», explicou o morador do 11º andar do edifício à AFP.

Entretanto, responsáveis do Governo britânico já confirmaram a detenção de um cidadão do Reino Unido na antiga colónia inglesa e o acompanhamento do caso.

Hong Kong tem cerca de sete milhões de habitantes, mas uma taxa de crimes muito baixa. Na primeira metade deste ano foram registados apenas 14 casos de homicídio.