Um pai de família, de 64 anos, confessou, nesta segunda-feira, em tribunal, ter cometido um homicídio há 32 anos, em Bath, no Reino Unido.

Christopher Hampton foi condenado a uma pena mínima de 22 anos de prisão efetiva, depois de confessar ter matado Melanie Road na madrugada de 9 de junho de 1984, uma jovem de apenas 17 anos.

Melanie Road foi violentada e em seguida apunhalada mortalmente no peito e nas costas quando caminhava a pé até casa, depois de uma saída à noite com os amigos.

O corpo foi encontrado por um leiteiro e seu filho, cerca das 05:30 da madrugada, não muito longe da residência da menor.

Depois do crime, Christopher Hampton continuou a viver normalmente nas mais de três décadas que se seguiram a poucos quilómetros de Bath.

O caso conheceu uma volta surpreendente em maio de 2015 quando a polícia, que nunca encerrou a investigação e fazia uma atualização do caso, conseguiu relacionar o ADN encontrado na roupa de Melanie com o de um dos três filhos de Hampton, que tinha dado entrada na base de dados nacional em 2014 noutro âmbito.

O autor do crime tinha, desde então, negado as acusações, mas acabou por declarar-se culpado na última audiência.

A mãe de Melanie Road, de 81 anos, já não acreditava que este desfecho fosse possível ao fim de tanto tempo.