Quase 20.000 pessoas assinaram uma petição na Internet em que apelam às autoridades japonesas à libertação de Megumi Igarashi, conhecida como a «artista da vagina», detida no passado sábado por distribuir material obsceno, segundo o código penal nipónico.

A petição, dirigida à polícia metropolitana de Tóquio e impulsionada através da plataforma Change.org, acumulava às 14:15 (06:30 em Lisboa) 18.976 assinaturas.

Igarashi é uma artista de 42 anos residente em Tóquio que adquiriu a alcunha de «artista da vagina» pelas diversas esculturas e instalações de pop arte inspiradas nos genitais femininos.

A artista permanece detida desde sábado por alegadamente ter distribuído material obsceno e por enviar dados digitais que permitiriam reproduzir os seus genitais com uma impressora a três dimensões, a troco de dinheiro.

Igarashi iniciou uma iniciativa de «crowdfunding» na internet com o objetivo de angariar fundos para construir um caiaque com a forma do aparelho reprodutor feminino, e até à data conseguiu um milhão de ienes (7.200 euros) de cerca de 125 doadores, segundo dados da polícia japonesa.

A artista, que protagonizou uma mostra em Tóquio em maio passado, alegou que apenas enviou aos seus financiadores dados digitalizados e afirmou que não considera a informação para impressão em 3D material obsceno.

O seu objetivo é «desafiar os tabus» e «lutar contra a discriminação» sobre a sexualidade feminina na sociedade japonesa, segundo declarações ao diário Japan Times.