Um tribunal neozelandês decidiu hoje que o fundador do portal Megaupload, Kim Dotcom, e três dos seus ex-sócios podem ser extraditados para os Estados Unidos para serem julgados por alegada pirataria informática.

A defesa de Dotcom já analisa um possível recurso da decisão do juiz Nevin Dawson, que considerou que existem indícios razoáveis para serem julgados, adiantou na sua conta de Twitter um dos seus advogados norte-americanos, Ira Rothken.

A justiça norte-americana acusa Dotcom e os seus antigos sócios Mathias Ortmann, Finn Batato e Bram van der Kolk de 13 crimes relacionados com pirataria informática, crime organizado e lavagem de dinheiro.