Itália está a avaliar a possibilidade de «intervenções seletivas» contra traficantes de pessoas na Líbia, afirmou esta segunda-feira o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, depois do naufrágio de domingo no Mediterrâneo que terá feito centenas de mortos.

«A hipótese de uma intervenção militar (na Líbia) não está em cima da mesa, mas o que é possível são intervenções seletivas para eliminar atividades criminosas», disse Renzi à imprensa após um encontro com o homólogo de Malta, Joseph Muscat.

«Ataques contra o negócio criminoso da morte, ataques contra os esclavagistas, fazem parte da reflexão», disse, acrescentando que equipas do Ministério da Defesa italiano estão a avaliar as possibilidades.

Também esta segunda-feira, o primeiro-ministro italiano revelou que as Guardas Costeiras italiana e de Malta estão a socorrer dois barcos em dificuldades na costa da Líbia. A bordo das embarcações estão 450 imigrantes