A França está disponível para acolher migrantes do navio Aquarius que se enquadrem "nos critérios do direito de asilo", anunciou esta quinta-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Em comunicado, o governo francês referiu que a proposta foi "acolhida favoravelmente por Espanha", país onde o navio deverá atracar no sábado com 629 migrantes a bordo.

O navio Aquarius, da organização não-governamental SOS Mediterranée, foi proibido de atracar no domingo passado em Itália e, depois, em Malta, situação que só foi desbloqueada na segunda-feira com a oferta do primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, de acolher o navio em Valência.

O navio partiu na terça-feira para Espanha, escoltado por duas embarcações da Marinha italiana, com as quais repartiu os migrantes que se encontravam a bordo.

Na quarta-feira, o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, desafiou o presidente francês, Emmanuele Macron, a provar a “generosidade” no acolhimento aos migrantes, considerando que França não respeitou os compromissos nesta matéria.

Ao intervir no Senado, Salvini disse que França se comprometeu a acolher “9.816 migrantes” chegados nos últimos anos a Itália, mas não acolheu mais de 640.

Convidou mesmo o chefe de Estado francês a “passar da palavra aos atos” e a dar “um sinal de generosidade”, acolhendo estes imigrantes.