O papa Francisco manifestou hoje o seu receio de ver “apagar” a presença de cristãos no Médio Oriente, “desfigurando a face da região”, em declarações antes de uma oração conjunta com vários patriarcas das igrejas do Médio Oriente.

“O Médio Oriente tornou-se uma terra de gente a deixar a sua própria terra. E há o risco de que os nossos irmãos e irmãs na fé seja apagada, desfigurando a face da região, porque o Médio Oriente sem cristãos não será o Médio Oriente”, disse o papa, falando na zona de Bari, em Itália.

Nas palavras introdutórias antes da oração ecuménica, o líder da igreja católica lembrou que a “indiferença mata” e alertou para a necessidade de dar voz a quem não a tem:

“O Médio Oriente hoje chora, há quem sofra e fique em silêncio, enquanto outros andam em busca de poder e riqueza.”

Francisco recordou o legado e os “tesouros inestimáveis” do Médio Oriente, mas entende que a região tem estado envolvida nos últimos anos numa “espessa camada de escuridão”.