Infeções consideradas atualmente como menores podem voltar a matar se nada for feito com urgência a nível global para lutar contra a resistência aos antibióticos, alertou esta quarta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS).

No primeiro relatório sobre a resistência aos antibióticos a nível mundial, a OMS afirma que «esta grave ameaça já não é uma previsão, mas uma realidade em cada uma das regiões do mundo e todos, independentemente da idade e do país, podem ser afetados».

Considerados pela OMS como um dos pilares da saúde, os antibióticos permitem-nos viver mais tempo e com melhor saúde, mas a sua utilização incorreta tornou-os praticamente ineficazes em algumas décadas.