A tragédia aconteceu à vista da costa, a uns meros 200 metros de terra. O "ferryboat" MB Nirvana tinha acabado de sair do porto de Ormoc, na província de Leyte, quando se virou. Era meio-dia, hora local, cinco da manhã em Lisboa. O destino da embarcação era a cidade de Pilar, também no centro das Filipinas.

Devido à proximidade de terra, o socorro foi rápido e a grande maioria dos passageiros foram salvos. Dos 173 passageiros e 16 tripulantes que seguiam a bordo, 127 foram resgatados com vida. Trinta e seis pessoas morreram e 26 estão desaparecidas.

A Cruz Vermelha das Filipinas diz que a causa do desastre foi o vento forte e a ondulação que se faziam sentir na altura. O MB Nirvana é uma embarcação aberta, com 27 metros de comprimento, propulsionada por um pequeno motor. Estas características tornam-na muito vulnerável às condições da meteorologia, o que acontece, aliás, com milhares de outros "ferrys" semelhantes usados no transporte de pessoas e bens entre as mais de sete mil ilhas das Filipinas. Essa é uma das razões que levam a que naufrágios como o desta quinta-feira sejam frequentes no país.


Notícia atualizada às 12h24