O célebre defensor dos direitos humanos sírio e crítico do regime de Bashar al-Assad, Mazen Darwish, foi libertado esta segunda-feira, três anos depois de uma detenção denunciada como arbitrária.

O jornalista e diretor do Centro Sírio para os Media e a Liberdade “foi posto em liberdade e o tribunal pronunciará o veredicto a 31 de agosto”, disse à agência France Presse a sua mulher, Yara Bader.

Onze meses depois do início do conflito na Síria, que começou com protestos pacíficos violentamente reprimidos que evoluíram para uma guerra civil, Mazen Darwish foi detido com dois dos seus colegas, Hani Zaitani e Hussein Ghreir, lembra a Lusa.

A detenção aconteceu a 16 de fevereiro de 2012 em Damas e os homens foram acusados de “apologia do terrorismo”.