O Boko Haram divulgou um novo vídeo que está a chocar o mundo. Nas imagens, os extremistas nigerianos matam a tiro dezenas de civis que se encontram deitados no chão, numa espécie de dormitório. Um dos líderes do grupo explica ainda que os civis estão a ser mortos porque são infiéis.

«Certificámo-nos que o chão desta sala fica vermelho, com sangue. Isto é como vai ser nos ataques futuros e nos próximos sequestros de infiéis. A partir de agora, matar, chacinar, destruir, bombardear vai ser o nosso dever religioso onde quer que vamos», diz um dos líderes do grupo.


As imagens violentas foram publicadas num site de partilha de vídeos este sábado e surgem depois de ter sido noticiado que os extremistas raptaram e mataram dezenas de idosos em duas escolas em Gwoza, no nordeste da Nigéria.

O cenário deste último vídeo parece ser um dormitório cheio de camas, que o líder diz situar-se em Bama, a cerca de 60 quilómetros de Gwoza. O guerrilheiro afirma ainda que apesar do Profeta Maomé considerar que os homens raptados não devem ser mortos, o grupo não vai manter os prisioneiros vivos.

«Este não é o momento para fazermos prisioneiros, por isso, vamos continuar a ver as terras vermelhas com o sangue dos nossos prisioneiros», declara.


O grupo Boko Haram, cujo nome significa «a educação ocidental é um pecado», tem espalhado o terror no norte da Nigéria, tendo como alvos preferenciais escolas e estudantes. Milhares de pessoas já foram mortas e mais de um milhão teve de fugir devido aos ataques dos rebeldes que defendem a criação de um estado islâmico sob a imposição da lei da sharia.

Recorde-se que em abril, o grupo raptou mais de 230 raparigas na cidade de Chibok.