Um homem de 23 anos foi detido na quarta-feira no estado de São Paulo, no Brasil, suspeito da morte de seis pessoas. O jovem alegou ter feito um «pacto com o diabo».

Nessa quarta-feira de manhã, três pessoas foram alegadamente assassinadas pelo jovem, no período de uma hora, em dois bairros de Mogi das Cruzes.

A primeira vítima foi um homem, de 35 anos, que estava a dormir; meia hora depois, por volta das 07:00, uma mulher de 69 anos que ia para o trabalho foi atacada com arma branca. O jovem regressou então à rua onde alegadamente assassinara a primeira vítima e atacou uma mulher com cerca de 40 anos, que aguardava pela chegada do autocarro. As três vítimas foram mortas e decapitadas, segundo o relato da «Folha de São Paulo».

Nesse dia, a polícia havia de travar as mortes, após receber um telefonema de uma testemunha do segundo crime, que fez à polícia a descrição do homem que vira com uma faca e uma machadinha e a matrícula do carro, como noticia a «Globo».

Com estes dados, as autoridades chegaram até Jonathan Lopes de Santana, de 23 anos. Quando a polícia chegou à casa onde o rapaz vive com os país e o irmão, o carro estava à porta, com vestígios de sangue no volante e os agentes encontraram as roupas ensanguentadas dentro do tanque.

Interrogado durante várias horas, o homem confessou os três homicídios desse dia e mais três, ocorridos naquela região desde sábado. Jonathan Santana enfrenta ainda acusações de tentativas de homicídio, já que outro morador ficou gravemente ferido após ter sido esfaqueado. A vítima está internada e já reconheceu Jonathan Santana como o homem que o atacou.

Jonathan Santana disse à polícia que se inspirara em vídeos do Estado Islâmico e que teria feito um «pacto com o diabo», que o mandatara para matar «31 pessoas», segundo o delegado Marcos Batalha, ouvido pela «Globo».