As autoridades marroquinas anunciaram esta segunda-feira a detenção de um belga, com origem marroquina, “diretamente ligado” aos terroristas que levaram a cabo os atentados de Paris, em novembro, e que mataram 130 pessoas. A notícia foi confirmada pelo Governo marroquino, num comunicado citado pela Agência Reuters.
 
O Ministério do Interior marroquino apenas forneceu as iniciais nome do homem em árabe e que são "J.A.". O comunicado adiantou também que o detido combateu na Síria, na frente de Al-Nusra, antes de se juntar ao Estado Islâmico. 

J.A. relacionou-se, durante um largo período de tempo, com alguns dos kamikazes de Paris, incluindo o alegado cérebro dos atentados de 13 de novembro, na zona de conflito siro-iraquiano. De acordo com o Ministério do Interior marroquino, o suspeito terá visitado a Síria, na companhia de um dos kamikazes de Saint-Denis. 

A detenção foi feita na cidade portuária de Mohammedia, adianta ainda o Governo marroquino. O suspeito terá chegado à localidade na última sexta-feira, proveniente de Casablanca. 

Antes de chegar a Marrocos, onde foi detido, o homem terá passado pela Turquia, pela Alemanha, pela Bélgica e pela Holanda.