A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, prometeu organizar um referendo sobre a saída de França da União Europeia (UE) se for eleita nas presidenciais de 2017, numa entrevista ao diário Le Figaro publicada hoje.

«Se for eleita Presidente da República, comprometer-me-ei perante os franceses a organizar, nos primeiros seis meses, um referendo sobre a saída da União Europeia», disse a presidente da Frente Nacional (FN).


Durante aqueles seis meses, explicou, negociará com as instituições europeias a devolução a França de «quatro soberanias essenciais: territorial, monetária, legislativa e económica». Se a UE recusar, pedirá aos franceses que votem «sim» à saída da União.

Le Pen assegurou por outro lado que, se o ‘não’ vencer, abandonará o poder, porque «nunca lhes faria uma promessa que não fosse capaz de manter».

«Quero dizer-lhes claramente que nada pode mudar se não voltarmos a ter a liberdade de sermos senhores do nosso destino. Mas, como o general De Gaulle, vou preveni-los (…) Eu quero o poder para mudar as coisas», disse.


Marine Le Pen, cujo partido venceu as europeias de maio com cerca de 25% dos votos, surge muito bem colocada em relação às presidenciais de 2017, com algumas sondagens a apontarem para uma vitória na primeira volta com cerca de 30% dos votos.

Nas presidenciais de 2012, vencidas por François Hollande, Marine Le Pen obteve 17,9%.

A Frente Nacional reúne-se em congresso no sábado e no domingo em Lyon (centro).