Mariano Rajoy anunciou, esta terça-feira, que abandonou a liderança do Partido Popular, dias depois do Governo que liderava ter caído. Emocionado, o antigo primeiro-ministro espanhol anunciou ainda que se vai retirar da vida política após mais de 30 anos. 

"Senti-me muito apoiado pelo vosso apoio nesta jornada que não foi fácil para mim. Chegou o momento de colocar um ponto final nesta história. O Partido Popular deve avançar sob a liderança de outra pessoa. É o melhor para mim e para o PP. É o melhor para o PP e para mim. E acredito que também para Espanha. O resto não importa", afirmou Rajoy.

De acordo com o El País, é esperado que o ex-chefe do Governo espanhol abandone ainda o seu lugar o congresso dos deputados.

Agora, é esperado que o Partido Popular eleja um líder interino até que seja realizado um congresso extraordinário para eleger um novo presidente e candidato às eleições gerais. 

Mariano Rajoy assumiu a presidência do PP em 2003, por indicação de José María Aznar, e desde então perdeu duas eleições gerais (2004 e 2008) e venceu três (2011, 2015 e 2016), tendo governado Espanha durante quase sete anos. Durante os 30 anos na política, Rajoy foi deputado autónomo, ministro, vice-presidente e presidente do Governo com o Partido Popular. 

O ex-primeiro-ministro espanhol toma esta decisão depois de ter sido afastado da chefia do Governo na passada sexta-feira na sequência da aprovação de uma moção de censura contra o seu Governo que também significou a subida do líder socialista, Pedro Sánchez, ao lugar de primeiro-ministro.