O Rei de Espanha recebeu, esta quinta-feira, os principais partidos com representação parlamentar, no sentido de deslindar o impasse político que o país atravessa. No final dos encontros, o primeiro-ministro em exercício, Mariano Rajoy aceitou a investidura do Rei para formar Governo, mas pode não ser ainda o ponto final na novela política de Espanha, que pode até conduzir a uma terceira ida às urnas.

Albert Rivera, líder do Cidadãos (Ciudadanos) sugeriu que todos coloquem de parte as divergências e se abstenham para que o líder do PP possa formar um novo Governo minoritário. Mas, à partida, os socialistas do PSOE e o Podemos rejeitam viabilizar um novo executivo de Mariano Rajoy.

Rajoy disse aos jornalistas, no final do encontro com Filipe VI, que vai iniciar uma ronda de conversações, com vista a angariar apoios para formação de Governo. “Precisamos formar um Governo sólido e estável, assim que possível”, disse.

A Espanha precisa de um Governo agora. Esse Governo tem de ser liderado pelo PP e não há volta a dar”, acrescentou.

Contudo, sem o apoio de PSOE nem do Podemos, pode continuar tudo na mesma e tudo indica que o impasse político deverá continuar e os espanhóis poderão ser chamados às urnas pela terceira vez em menos de um ano.