A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que Angola vai ter de imunizar com urgência 19,3 milhões de pessoas, em 12 províncias, para travar a epidemia de febre-amarela no país, que já provocou pelo menos 218 mortes.

A informação da OMS, divulgada esta segunda-feira em Luanda, surge na sequência da visita que a diretora-geral daquela organização das Nações Unidas está a fazer, até terça-feira, à capital angolana, precisamente para “analisar e apoiar a resposta” à epidemia de febre-amarela.

A visita de Margaret Chan “ocorre numa altura em que Angola necessita de adquirir vacinas a nível internacional com urgência” e “assegurar a imunização de 19,3 milhões de pessoas em risco de febre-amarela, em 12 das 18 províncias do país, onde até hoje foram confirmados casos”, explica a delegação da OMS de Luanda, numa informação enviada à Lusa.

Até à data, com o apoio da OMS, Angola vacinou mais de 5,8 milhões de pessoas contra a febre-amarela e já adquiriu 7,3 milhões de doses da vacina, também com o apoio do Grupo de Coordenação Internacional para o Fornecimento da Vacina da Febre-Amarela e de países como o Brasil e a China.