Pelo menos quatro casas ficaram esta noite destruídas com a maré alta que invadiu a vila de Santa Catarina, 40 quilómetros a norte de São Tomé, disse à agência Lusa um morador do local.

«Nunca vimos coisa igual. Ondas com cinco a seis metros de altura. Apanhou-nos desprevenidos, engoliram os nossos porcos, cães, galinhas, destruíram as nossas casas e o produto do nosso trabalho», disse a agência Lusa, José Ribeiro, um dos moradores no local.

Os mesmos relatos sustentam, no entanto, não haver registo de qualquer vítima mortal.

Pelo menos oito famílias estão desalojadas e a viver em casa de familiares.

Santa Catarina é uma zona costeira onde a maioria da população se dedica à agricultura e á pesca. Além das casas destruídas pelas ondas, também ficaram destruídos alguns «secadores» de cacau.

«Tínhamos aqui cerca de sete toneladas de cacau no secador e com a ajuda da população conseguimos salvar, pelo menos, quatro toneladas», disse José Ribeiro ao salientar que o restante foi levado pelas ondas.

Mais de uma vintena de pirogas ¿ embarcações tradicionais - foram destruídas ou arrastadas para terra.

Os pescadores locais acreditam que antes do amanhecer poderão ocorrer mais uma ou duas situações em que as ondas invadem a terra.

Fonte do gabinete do primeiro-ministro disse a agência Lusa que Gabriel Costa se desloca na manhã de sábado (hora local) ao local.