Pelo menos sete pessoas, duas delas crianças, morreram e outras 123 foram resgatadas do mar após o naufrágio da embarcação em que seguiam ao largo da Líbia, anunciou esta terça-feira a guarda-costeira líbia.

Um navio da guarda-costeira líbia retirou os sobreviventes do mar, mas não conseguiu resgatar os corpos de cinco dos mortos, explicou o capitão do navio, Rami Ghommeidh.

As duas crianças foram encontradas mortas dentro da embarcação, acrescentou.

Os sobreviventes foram levados para o porto de Tripoli e deverão ser transferidos para um centro de detenção na capital líbia, disse.

Este novo naufrágio faz subir para 180 o número de migrantes mortos ou desaparecidos desde sexta-feira ao largo da Líbia, segundo um balanço da agência France-Presse dos números fornecidos pela guarda-costeira do país.

Na sexta-feira, os corpos de três bebés foram resgatados da água e uma centena de pessoas desapareceram depois do naufrágio da embarcação em que seguiam.

Outras 63 pessoas, que viajavam noutra embarcação, estão desaparecidas desde domingo, segundo um porta-voz da Marinha líbia, Ayoub Kacem.

O mesmo porta-voz disse ainda que nas últimas horas navios-patrulha líbios intercetaram 276 pessoas que partiram da costa líbia e tentavam atravessar o Mediterrâneo, em três operações realizadas na segunda-feira.

Entre os 276 havia 29 mulheres e 54 crianças, provenientes de 14 países da África Subsaariana, 29 sudaneses e um egípcio.