Os portugueses são «pedreiros peludos», os espanhóis passam por «preguiçosos» e em França são todos «comedores de rãs». Inglaterra é a terras dos «bifes», Irlanda é sinónimo de «U2» e os gregos não passam de uns «pobres».

Todas estas designações foram dadas por Sébastien Laurent, o artista oriundo da Bélgica, que desenhou «A Europa vista de baixo», título da controversa «obra».

Há dois dias, o portal educacional belga Enseignons.be publicou a imagem do mapa na sua página do Facebook.

Uma onda de partilhas e comentários contestando o teor racista das expressões atribuídas a cada país, surgiu de imediato. O que poucos sabem é que o mapa já existe há três anos.

A legendar a figura, o portal da Educação escreve: «Considerando a dificuldade que os nossos alunos têm em localizar os países europeus num mapa, aqui está uma ferramenta que deve agradar a todos os nossos colegas de Geografia».



Num texto publicado hoje no website oficial do Enseignons.be, o portal esclarece que o mapa de Laurent não é recente e que deve ser encarado com humor.



Numa mensagem deixada, esta quarta-feira, no Facebook, os belgas dizem lamentar toda a polémica mas esperam que o mapa ajude as pessoas a encarar os seus próprios preconceitos.

O mapa foi produzido em 2011 já recebeu alguns prémios, entre eles o Prémio das Artes da Província de Hainaut.