O Governo francês vai propor ao parlamento prolongar por mais dois meses o estado de emergência decretado após os atentados de 13 de novembro em Paris. O objetivo é fazer com o este regime se estenda até ao período do Euro2016. O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo primeiro-ministro francês, Manuel Valls, em declarações à rádio France Info.

“Com um evento desta dimensão, que deve ter todas as medidas de segurança e que, ao mesmo tempo, tem de ser uma celebração, temos que reforçar a segurança.”

O estado de emergência dá poderes especiais à polícia e às forças de segurança para a realização de rusgas e detenções. Este regime de exceção foi instaurado depois dos atentados de Paris, que provocaram 130 mortos e cerca de 300 feridos, e já tinha sido prolongado, em fevereiro, por três meses, até 26 de maio.

O Executivo francês quer agora alargar este regime até ao fim de julho, de modo a abranger o Campeonato Europeu de Futebol de 2016, que se realiza em França de 10 de junho a 10 de julho. O Euro2016 terá 51 jogos que serão disputados em 10 estádios. São esperados cerca de 2,5 milhões de espetadores.

"O estado de emergência não pode ser permanente, mas devemos garantir plenamente a segurança dos grandes acontecimentos", sublinhou Valls.

O governante informou ainda que o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, vai apresentar a proposta aos outros membros do executivo ainda esta quarta-feira. A medida terá depois que ser votada no parlamento.

Recorde-se que o Estádio de França, o estádio nacional que se localiza no norte de Paris, foi um dos alvos escolhidos pelos terroristas a 13 de novembro de 2015. Um bombista suicida fez-se explodir junto ao recinto, quando decorria um jogo particular entre a França e a Alemanha. As imagens televisivas do encontro registaram o momento em que se se ouve a explosão.

O estado de emergência já foi prolongado por duas vezes, o que tem merecido as críticas de várias organizações de direitos humanos.