O ex-candidato presidencial venezuelano Manuel Rosales foi detido na quinta-feira por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin, serviços secretos) quando regressava à Venezuela, onde é acusado pelas autoridades de enriquecimento ilícito.

Exilado no Peru desde abril de 2009, o também ex-governador do Estado venezuelano de Zúlia foi detido no Aeroporto Internacional de La Chinita, em Maracaibo (oeste do país), quando saiu de um avião proveniente da ilha de Aruba.

Um comunicado do Ministério Público venezuelano dá conta de que Manuel Rosales foi transferido para Caracas, onde nas próximas horas será apresentado perante um tribunal.

Entretanto, os EUA pediram à Venezuela para respeitar o “devido processo” e se abster "de perseguir opositores políticos”, após a detenção do ex-candidato, disse fonte do Departamento de Estado à agência Efe.

Convencido de que iria ser detido no regresso, preparou uma mensagem em que assegurou que trabalhará a partir da prisão para que a oposição ganhe as eleições legislativas do próximo mês de dezembro.