Mais de 300 pessoas manifestaram-se, esta noite, na praça de Times Square, em Nova Iorque, em solidariedade para com os protagonistas dos protestos pró-democracia de Hong Kong.

Gritando «Hong Kong sê forte» muitos dos participantes da manifestação de apoio também acenaram guarda-chuvas e pequenos laços amarelos, que se tornaram símbolos dos protestos em curso na Região Administrativa Especial chinesa.

«Nova Iorque apoia a democracia em Hong Kong», dizia uma das mensagens grafadas em cartazes amarelos sob a imensa luz da célebre praça de Manhattan.

Diálogo tem de substituir gás lacrimogéneo

O último governador britânico de Hong Kong instou, na quarta-feira, a um «diálogo genuíno» no âmbito dos protestos pró-democracia, afirmando que Pequim renegou as suas promessas de permitir à sua Região Administrativa Especial decidir sobre os seus próprios assuntos.

«Penso que temos de ver o diálogo substituir o gás lacrimogéneo e o gás pimenta», disse Chris Patten, durante um programa radiofónico da BBC, numa alusão aos incidentes de domingo.

Neste sentido, defendeu que “de modo a salvar a face de Pequim e do Governo de Hong Kong, a coisa certa a fazer é partir para um novo período de consulta, fazendo uma auscultação genuína».