No dia em que os deputados gregos vão votar as propostas do governo grego aos credores internacionais, milhares de pessoas manifestam, em frente ao parlamento, o seu descontentamento perante o novo plano de austeridade e os novos cortes que se avizinham.

Milhares de gregos enchem a Praça Syntagma e protestam contra um plano de austeridade que achavam ter rejeitado com a vitória expressiva do “não” no referendo do passado domingo. A polícia de choque está no local e já aconteceram pequenas escaramuças entre os manifestantes e as autoridades.

 
Os manifestantes lembram que o “Não” venceu e contestam a cedência do executivo de Atenas.

 

Nas redes sociais, divulgam-se fotos, partilham-se vídeos. Imagens que mostram a indignação do povo grego após o anúncio de cedências aos credores internacionais, que vão implicar mais medidas de austeridade no país.

 


E o que representam as propostas? Mais IVA, novos impostos, descer salários na função pública, criar uma espécie de regime de mobilidade especial, desencorajar reformas antecipadas e privatizar mais do que estava previsto.

Aos olhos do povo, esta foi uma reviravolta que os apanhou de surpresa e os deixa confusos. Já os credores parecem ter gostado do novo plano de Tsipras.

 
Apesar de  a maioria não querer sair do euro, muitos questionam a austeridade que vem de Bruxelas. Acima de tudo, querem sair do buraco, após cinco anos de austeridade e recessão.