A Austrália pode estar mais perto do que nunca de ter um sistema republicano, depois de ter sido abolida a nomeação de cavaleiros e damas. O primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, já veio a público dizer que o governo “concordou que cavaleiros e damas não são títulos apropriados no sistema de honras moderno”.
 

“Sua Majestade, a Rainha Isabel II, concordou com a recomendação do governo de remover os títulos de cavaleiros e de damas, da Ordem da Austrália”.


A decisão surge no ano que se assinalaria o 40º aniversário da Ordem da Austrália, cujo sistema de honras funcionava, assim como no Reino Unido, atribuindo estes títulos a indivíduos que tivessem prestado serviços em nome da Astrália.

Contudo, o governo já afirmou que a mudança não vai afetar as pessoas a quem já foram atribuídos os títulos até ao momento.

De acordo com a CNN, esta decisão vem de encontro à visão política do primeiro-ministro australiano, que defende o fim da monarquia constitucional no país. Malcolm Turnbull declarou ainda que o fim da atribuição dos títulos de honra termina mais um anacronismo na Austrália.

O primeiro-ministro, eleito em setembro, é um republicano assumido e, de 1993 a 2000, fez parte do Movimento Republicano Australiano. Em 1999, o líder político fez parte de uma campanha que apelava ao referendo, para abandonar o sistema monárquico e retirar poderes à rainha Isabel II.

Esta é a segunda vez que o sistema de honras é revogado. Quase 28 anos depois de ter sido abolido, sob o governo de Bob Hawke, voltou a entrar em vigor, com Tony Abbott.