Os primeiros 20 corpos das vítimas malaias do voo MH17, que foi abatido no leste da Ucrânia, foram transportados para Kuala Lumpur, capital da Malásia, esta quinta-feira, informou a imprensa holandesa.

O avião com os corpos das vítimas partiu do aeroporto de Schipol, na Holanda, e é esperado esta sexta-feira na Malásia, onde as autoridades decretaram um dia de luto nacional.

Depois, os restos mortais vão ser enviados para as localidades onde as vítimas viviam.

Segundo o anúncio do vice-primeiro-ministro Muhyiddin Yassin, na semana passada, os caixões vão ser recebidos pelo rei da Malásia, pelo primeiro-ministro e outros membros do governo malaio.

O aparelho da Malaysia Airlines foi atingido por um míssil a 17 de julho, quando sobrevoava uma área controlada por separatistas pró-russos. Dos 298 mortos, 43 eram malaios, incluindo os membros da tripulação.

Depois da tragédia, os restos mortais foram transportados para a Holanda onde decorreram os processos de identificação das vítimas. Contudo, os trabalhos apenas permitiram identificar 28 vítimas da Malásia.

Como as buscas pelos restos mortais no local do incidente foram interrompidas por razões de segurança, muitas vítimas poderão não ser identificadas.