O número inscrito no destroço encontrado na ilha da Reunião confirma que a peça pertence a um Boeing 777. A informação foi divulgada por um porta-voz do governo da Malásia esta sexta-feira, citado pela Agência France-Press. Apesar de ainda não haver confirmação oficial de que se trata do voo MH370, sabe-se que o único Boeing 777 desaparecido é o aparelho que fazia este voo.

Este novo dado surge depois de as autoridades que investigam o desaparecimento do MH370 se terem mostrado cada vez mais confiantes de que o destroço encontrado ao largo da ilha da Reunião pertence ao aparelho da Malaysia Airlines. 
 
Martin Dolan, o comissário responsável pelo departamento de segurança dos transportes da Austrália, afirmou esta sexta-feira à AFP que as autoridades estão “cada vez mais confiantes” de que se trata de uma parte do MH370 e que a forma do objeto se assemelha a uma parte muito específica do Boeing 777.
 

“A forma do objeto parece-se muito com uma parte muito específica associada apenas aos aparelhos 777. Ainda estamos a trabalhar com os colegas franceses e malaios para analisar a informação e, por isso, não temos a certeza ainda. Mas esperamos que dentro de pouco tempo seja possível ter esse nível de confiança.”


Na quinta-feira, o ministro malaio dos Transportes já tinha afirmado  que era quase certo "que a parte encontrada da asa do avião pertence a um Boeing 777".

A peça encontrada na ilha do Oceano Índico vai ser analisada por peritos de aviação de Toulose, em França. Só não se sabe bem quando. O gabinete do procurador de Paris afirmou que a peça pode chegar a solo francês já este sábado, mas a televisão local da ilha avança que o destroço não deve sair antes de domingo. Uma coisa é certa: o destroço, com cerca de dois metros de comprimento, vai ser analisado por várias equipas especializadas do setor da Defesa do país.

O desaparecimento do voo MH370 em março do ano passado constitui um dos maiores mistérios da aviação mundial. Uma equipa especial de investigadores da Austrália passou mais de um ano a procurar vestígios do aparelho que levava 227 passageiros a bordo. Tudo indica que, agora, possamos estar mais próximos de pistas que conduzam a um esclarecimento sobre esta tragédia.

Entretanto, foram encontrados dois objetos na ilha da Reunião que reforçam o cenário de especulação. Uma garrafa de água chinesa e um frasco de produto de limpeza da Indonésia foram encontrados na ilha e sabe-se que a maioria dos passageiros do aparelho era oriunda da China. No entanto, as imagens divulgadas nas redes sociais mostram os objetos num bom estado de conservação o que levanta dúvidas de que possam ser pertences do aparelho.