O presidente russo Vladimir Putin deve responsabilizar-se perante as vítimas do voo MH17 da Malaysia Airlines, afirmou hoje o advogado dos familiares do avião abatido sobre a Ucrânia em 2014.

O Boeing 777, que fazia a ligação entre Amesterdão e Kuala Lumpur com 298 passageiros e tripulantes a bordo, foi abatido por um míssil, no dia 17 de julho de 2014, na altura em que sobrevoava o leste da Ucrânia, durante confrontos na zona de fronteira com a Rússia.

A Equipa de Investigação Conjunta (JIT) concluiu que o aparelho foi atingido por um míssil BUK disparado a partir de território controlado pelas forças pró-russas, na Ucrânia, mas Moscovo já negou as informações do relatório.