O líder da oposição da Malásia, Anwar Ibrahim, foi hoje declarado culpado por sodomia pelo Tribunal Federal do país, que ratificou uma sentença anterior do Tribunal de Recurso, impondo uma pena de cinco anos de prisão.

Anwar Ibrahim, de 67 anos, que classificou a decisão como uma manobra das autoridades para o afastar da política, foi acusado em junho de 2008 de ter mantido relações sexuais com o seu assistente Saiful Bukhari Azlan, que o denunciou à polícia.