A França vai reforçar a partir desta sexta-feira as buscas por ar, mar e terra pelos destroços do MH370 na ilha de Reunião, depois de terem sido encontrados novos destroços que podem pertencer ao Boeing 777 da Malaysia Airlines, desaparecido em março do ano passado, com 239 pessoas a bordo.
 

“Foi decidido, a pedido do presidente [François Hollande] e do primeiro-ministro [Manuel Valls], e para responder às necessidades do inquérito em curso, de reforçar as buscas por ar e mar para a possível presença de novos destroços ao largo de Reunião”, disseram os ministros da Defesa, dos Transportes e dos Negócios Estrangeiros num comunicado conjunto, na quinta-feira.

 
Um avião iniciará as buscas na área a partir desta manhã, mas também haverá patrulhas de terra e mais operações de buscas com helicópteros e unidades marítimas, acrescenta o Governo francês.
 

“Qualquer descoberta será imediatamente reencaminhada para peritagem”, consta ainda no comunicado.

 
Apesar de o Governo malaio ter confirmado a origem dos destroços como sendo do Boeing 777 desaparecido, as autoridades francesas preferem realizar mais testes aos pedaços encontrados e prosseguir com novas buscas, ainda que admitam que “a probabilidade é muito elevada”.