A Malásia anunciou esta quarta-feira que chegou a acordo com a empresa norte-americana Ocean Infinity para a retoma das buscas pelo avião da Malaysia Airlines, que desapareceu sem deixar rasto em 2014, com 239 pessoas a bordo.

“A Ocean Infinity vai assumir as operações de busca pelo MH370 numa área de 25.000 quilómetros quadrados”, anunciou o ministro dos Transportes da Malásia, Liow Tiong Lai, em conferência de imprensa, indicando que as buscas vão ser iniciadas em meados deste mês.

Segundo os termos do acordo, a Malásia vai pagar até 70 milhões de dólares à Ocean Infinity, empresa especializada na exploração do fundo marinho, se encontrar destroços ou as caixas negras do avião da Malaysia Airlines dentro de três meses.

De acordo com o ministro dos Transportes malaio, existem 85% de probabilidades de serem encontrados destroços no novo perímetro identificado por peritos.

Caso a busca seja infrutífera, a Ocean Infinity, com sede em Houston, não receberá nada.

Essa proposta foi feita depois de, há um ano, Malásia, Austrália e China terem dado por concluída sem êxito a busca pelo avião que operava o voo MH370, após mapearem uma área de 120.000 quilómetros quadrados no oceano Índico, onde podia estar o Boeing 777, desaparecido a 08 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo, depois de descolar de Kuala Lumpur rumo a Pequim.